Conheça 12 erros na migração de dados que você precisa evitar

Home Data Analytics
Conheça 12 erros na migração de dados que você precisa evitar
migração de dados

Conheça 12 erros na migração de dados que você precisa evitar

A cloud computing é uma tecnologia cuja adoção cresce diariamente em todo o mundo. Esse crescimento, por sua vez, levou a um aumento dos investimentos no Brasil, e as organizações daqui passaram a adotar a nuvem para o armazenamento de dados e soluções. Além disso, o número de médias empresas na nuvem também cresce consideravelmente dia após dia.

O receio inicial que muitos empresários tinham quanto à segurança já foi superado, e a cloud já se mostrou muito vantajosa para organizações de todos os portes. Neste artigo, vamos apresentar os principais erros que não podem ser cometidos na migração de dados e fornecer detalhes sobre a necessidade de ter um plano de backup.

Continue a leitura para saber por que o número de médias empresas na nuvem tem aumentado tanto!

Entenda as principais vantagens da migração de dados

As informações são utilizadas diariamente para a criação de estratégias que têm o objetivo de aumentar a produtividade, a lucratividade e a competitividade das organizações. A migração desses dados é muito importante para as empresas, pois influencia no modo como o negócio é operado. Veja a seguir quais são os maiores benefícios de realizar esse processo!

Ganho da inovação tecnológica

Todos os dias, surgem novos avanços tecnológicos, e muito deles acontece na nuvem. A cloud computing está altamente integrada com a Internet das Coisas (IoT), a Inteligência Artificial (AI) e o Machine Learning, isso só para citar algumas inovações.

As empresas que ainda não aderiram à nuvem estão deixando de ser competitivas, assim como estão abrindo mão de grandes oportunidades de negócio.

Atualmente, as ferramentas que oferecem maior flexibilidade e inovação, seja em formas de conexão com o cliente ou de produtividade, são baseadas somente na nuvem. Nenhum negócio — seja ele de grande, médio ou pequeno porte — que deseja permanecer no mercado pode negligenciar isso.

Escalabilidade

Se há uma vantagem de negócios que a cloud computing definitivamente trouxe é a escalabilidade. Esta é a promessa fundamental que a nuvem traz para o primeiro plano. Vários recursos de computação são compartilhados entre uma ampla variedade de usuários.

Além disso, as empresas podem aumentar ou diminuir a capacidade de armazenamento, o número de usuários e os recursos gerais de TI de acordo com a sua necessidade, de maneira fácil e ágil.

Do ponto de vista dos empresários, a solução em nuvem tornou o ambiente de TI prontamente disponível, com custos mínimos, além de fluido e dinâmico.

Integração e padronização

Os serviços de computação em nuvem têm integrado padrões comuns em todos os aspectos, como nas áreas de interface de aplicativos, no armazenamento de dados ou nos processos de autenticação dos usuários.

Ao concentrar diversas aplicações e atividades em uma mesma plataforma, é possível garantir uma experiência do usuário mais concisa, fator que contribui para o aumento da produtividade.

Maior segurança para médias empresas na nuvem

Até pouco tempo atrás, o fator segurança era um dos principais empecilhos para o crescimento do número de médias empresas na nuvem. Havia um grande receio quanto à disponibilidade e à integridade dos dados armazenados remotamente.

No entanto, os aplicativos baseados em nuvem já provaram que são muito mais seguros do que os aplicativos locais. Isso vale principalmente para as médias empresas, que não contam com uma infraestrutura tão robusta para a proteção de dados.

Em uma estrutura local, existem diversos fatores que podem comprometer o acesso aos dados, como um corte potencial na disponibilidade de energia, falhas nas redes ou no hardware, ciberataques e erros humanos.

Essas deficiências são bem tratadas por um provedor especializado de serviços de computação em nuvem, visto que ele já investiu um tempo significativo na conformidade com o padrão de segurança e redundância de infraestrutura, além de conhecer as melhores práticas operacionais.

Suporte e desempenho

Provedores de serviços de computação em nuvem especializados oferecem a seus clientes alta disponibilidade, confiabilidade e desempenho.

Eles trabalham com acordos de nível de serviço (SLA, em inglês) explícitos em relação a fatores como migração, falha do host, desempenho do aplicativo e tempo de atividade do data center. Dessa forma, as médias empresas contam com maior segurança jurídica, transparência e garantia do cumprimento dos contratos.

Além disso, os provedores oferecem suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana, para ajudar os usuários com quaisquer problemas que possam enfrentar.

Redução de custos

Esse, sem dúvidas, é o maior responsável pelo aumento do número de médias empresas na nuvem. Com um orçamento mais apertado, as PMEs precisam sempre buscar alternativas para reduzir os custos.

Nessa perspectiva, a computação em nuvem é um ótimo investimento, já que esses serviços são basicamente cobrados com base no que você usa. Assim, o custo do excesso de capacidade e os recursos ociosos são eliminados.

Também há uma grande economia em relação à aquisição e à manutenção de servidores, em que o custo passa a ser mínimo, bem como com a manutenção do data center, cujo maior reflexo é percebido na conta de energia. Isso sem falar na possibilidade de contar com uma equipe de TI mais enxuta.

Compreenda os erros mais cometidos na migração de dados

O processo de migração dos dados de uma empresa representa uma mudança significativa de estrutura. Mas migrar para a cloud é um enorme desafio para as organizações, embora traga muitas vantagens para as operações, os colaboradores, os gestores etc. Observe abaixo os principais erros que podem ser cometidos durante a execução desse procedimento!

1. Migrar todos os dados de uma vez

É necessário fazer um planejamento para o processo de migração dos dados de um negócio. Essa tarefa é complicada, mas precisa ser feita da forma certa, para que não sejam perdidas informações essenciais da empresa, produtos, serviços, clientes, colaboradores, fornecedores, parceiros, entre outras. Portanto, é necessário realizar uma análise antes de iniciar o procedimento.

Verifique se os dados históricos serão migrados ou se os sistemas legados serão mantidos com o fornecimento de acesso para leitura. Analise a qualidade das informações, se elas necessitam de correção na origem ou serão corrigidas durante o processo de migração. Confira o plano de contingência a ser aplicado se o procedimento for parcialmente concluído e os ciclos de teste.

2. Migrar dados sem olhá-los e testá-los

A migração dos dados deve ser cuidadosamente analisada e testada, já que, se houverem inconsistências, eles causarão problemas durante o envio. O trabalho de migração poderá ser afetado, por isso, faça testes e validações durante todo o processo. Se você atrasar ou ignorar essa etapa, as informações corrompidas se infiltrarão no sistema e causarão desastres.

3. Não ter um plano de backup

Tenha um plano de backup, pois os reparos aos acidentes que destroem os dados custam caro e trazem muitas dificuldades. Faça um plano para a realização das cópias de segurança e aplique-o antes de transmitir as informações para o novo sistema, principalmente para documentos importantes. Caso ocorra um problema durante a migração, será mais fácil restaurar os arquivos.

Você poderá corrigir os erros e fazer com que os dados voltem ao seu estado de origem. Os backups não são tarefas complexas, mas precisam de planejamento para manter as informações seguras e protegidas diariamente. Procure ter duas opções de backup distintas, pois, se uma delas falhar, a outra garantirá a continuidade das operações.

4. Não organizar os dados

A organização e a limpeza podem ser realizadas antes da migração dos dados. Faça uma faxina nos arquivos da empresa para eliminar hábitos ruins e erros relacionados às atividades. A desorganização aumenta as inconsistências das informações, gera duplicações desnecessárias e atrapalha o desempenho dos colaboradores, além de interferir no funcionamento dos recursos.

5. Não rever as regras

Todas as empresas precisam rever as suas regras, já que no decorrer do tempo os consumidores adotam novas posturas e os seus interesses se modificam. Deixar de fazer uma revisão nas diretrizes do negócio é um erro que impede o crescimento saudável das organizações. É necessário averiguar as configurações antigas, alinhar as ferramentas e avaliar as bases de dados.

6. Não testar a dependência de dados cruzados

Antes de migrar os dados, é indicado testar a dependência dos dados cruzados, mas essa tarefa não é tão fácil de ser realizada. O profissional responsável deverá ter cuidado e paciência para fazer os testes nas diversas fontes que dependem uma da outra ou que contenham informações semelhantes. Se isso não for feito, poderão ocorrer problemas graves.

7. Não observar as boas práticas

Muitos acreditam que esse procedimento é sacrificante porque não seguem as rotinas apropriadas e decidem realizar o processo da sua maneira. A empresa que deixa de aplicar as boas práticas encontra problemas referentes à discrepância dos dados e tem dificuldades para encontrar soluções. Utilize as boas práticas de migração de dados e evite erros maiores.

8. Não conhecer o fornecedor

Um dos maiores erros que pode ser cometido ao fazer a migração dos dados é contratar qualquer fornecedor de serviços cloud sem conhecer profundamente os seus sistemas. Procure conhecer o provedor de nuvem e cada instalação, além de conferir os seus pontos fracos e fortes antes de fechar a negociação. Uma nuvem privada não oferece escalabilidade, mas é flexível.

9. Não avaliar os recursos

Os recursos da nuvem são provenientes de um servidor físico que é executado em um data center. Sendo assim, a distância geográfica precisa ser considerada, pois as aplicações sensíveis poderão sofrer atrasos após o envio dos dados que deverão chegar ao destinatário. Os aplicativos que gerenciam interfaces do usuário ou movimentam muitas informações terão desempenho melhor se estiverem perto da empresa.

10. Desconsiderar a segurança dos dados

Se você deixar de prestar atenção à segurança dos dados cometerá um dos piores erros. Os líderes de TI precisam mover aplicações para cloud e ainda manter o acesso às fontes dos dados. Uma arquitetura híbrida, com cópias dos arquivos no local e na nuvem, facilita o cometimento de falhas na configuração das conexões de rede e de replicação.

Defina com clareza quais serviços de segurança são necessários para proteger as suas informações antes de assinar o instrumento contratual com o provedor da nuvem. Conte com o aval de um profissional especializado que faça parte do seu time de TI para se assegurar de que a plataforma a ser contratada tem capacidade computacional e manterá os dados seguros.

11. Deixar de contratar uma boa consultoria

O empreendimento que decide não contar com uma consultoria especializada na área terá mais dificuldade para descobrir e compreender o poder de processamento da cloud. Por outro lado, encontrará entraves para melhorar os seus resultados com o uso de informações armazenadas na nuvem. Isso acontece em decorrência da falta de entendimento sobre infraestrutura de TI.

Uma boa consultoria vai ajudar você a escolher o serviço de nuvem mais adequado para a sua empresa. Procure atendimento especializado de uma parceira que entenda sobre as principais soluções cloud disponíveis no mercado. Ela vai analisar as necessidades e demandas do seu negócio e oferecerá serviços customizados.

12. Não fazer um planejamento

O processo de migração dos dados requer uma avaliação das finanças dos demais recursos da empresa. Não deixe de realizar os testes paralelos e tente compreender as diferenças entre a nova aplicação e o sistema de origem. Sem um planejamento detalhado das ações a serem realizadas e que inclua as demandas da empresa, o processo não terá êxito.

Essas foram as principais razões pelas quais o número de médias empresas na nuvem vem aumentando dia após dia e os maiores erros que são cometidos na migração de dados. Para evitá-los, é necessário compreender as funções das tecnologias, da infraestrutura de TI, das soluções e das aplicações, bem como dos serviços na nuvem.

Se você gostou deste conteúdo, também vai gostar de saber como utilizar a inteligência digital para pequenas e médias empresas. Boa leitura!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: