Videoconferência na nuvem x em rede: qual a melhor?

Home Cloud Computing
Videoconferência na nuvem x em rede: qual a melhor?

Videoconferência na nuvem x em rede: qual a melhor?

A hora de escolher a tecnologia certa de vídeo para sua organização chegou e você não consegue decidir entre a videoconferência na nuvem ou em rede? Sem dúvida, não é uma escolha fácil pois essas tecnologias não são adequadas para todos os tipos de negócios. Portanto, é importante entender o que ambos podem oferecer antes de comprar.

A videoconferência na nuvem e em rede têm vantagens e desvantagens, e suas necessidades específicas têm um grande impacto sobre qual modelo se ajustaria ao seu negócio. Para te ajudar nessa escolha, abaixo explicamos todos os detalhes de cada uma das opções! Acompanhe conosco:

O que é videoconferência em rede?

Com a videoconferência em rede, os departamentos de TI implantam servidores que possuem e operam a chamada por meio deles. Esses servidores fornecem as funções de ponte, mixagem e comutação para voz, vídeo e compartilhamento de conteúdo que fazem a reunião acontecer. Além disso, você deve usar seus próprios firewalls e ficará responsável pelas escolhas em design, atualizações, manutenção e segurança.

As características da conferência em rede

As soluções baseadas em rede têm suas vantagens. De longe, a mais importante é a qualidade. Geralmente, a videoconferência é feita usando endpoints dedicados. Esses endpoints apresentam telas grandes e câmeras de alta qualidade.

Os usuários esperam uma qualidade fantástica — alta definição, baixa latência, alta taxa de quadros e vídeo livre de erros. Entregar essa qualidade requer um ótimo endpoint, mas também uma ótima rede. Ao implantar os servidores nas instalações, as equipes de TI podem gerenciar com firmeza a largura de banda e a qualidade de serviço disponíveis para fornecer a experiência que os usuários esperam.

No entanto, o vídeo no local também apresenta desvantagens. Para começar, essa alta qualidade vem com um alto custo. Os servidores necessários para conquistar uma alta definição, baixa latência e vídeo livre de erros não sai barato e, qualquer problema na rede será de sua responsabilidade.

É você que deverá implantar e operar esses servidores, o que deve ser feito regionalmente. Capacidade suficiente deve ser lançada para lidar com carga de pico e, às vezes, a demanda pode ser inesperadamente alta, fazendo com que os usuários não tenham acesso durante certos horários. Além disso, usuários em regiões remotas podem sofrer já que os servidores estão em locais distantes.

E videoconferência na nuvem?

Com as soluções baseadas em nuvem, existe um servidor semelhante ao da solução em rede, mas está na nuvem, é claro, e é de propriedade e operado pelo fornecedor. Ou seja, você não precisa arcar com os custos de infraestrutura, o que reduz consideravelmente seus custos e o trabalho que está em suas mãos. Além disso, a inovação e manutenção são supervisionadas pelo seu provedor, para que sua equipe interna possa se dedicar a tarefas mais estratégicas.

As características da videoconferência na nuvem

A videoconferência na nuvem é do tipo IaaS (Infraestrutura como um serviço) e apenas cobra por aquilo que você precisa. Isso significa que você não precisará arcar com altos custos de uma infraestrutura que pode acabar obsoleta. Além disso, ela também possui as seguintes características:

  • Interoperabilidade entre sistemas: muitas soluções de videoconferência em rede têm dificuldade em se comunicar com outras soluções de videoconferência, devido às diferenças entre fabricantes, protocolos (SIP / H.323) e configuração atual da infraestrutura. Soluções em nuvem permitem que todos se comuniquem;
  • Conectividade com organizações externas e convidados: a videoconferência tem sido tradicionalmente confinada a redes internas, protegida por permissões de firewall externas abertas apenas para IPs confiáveis. Além disso, é provável que o convidado ou o trabalhador remoto esteja por trás de seu próprio firewall e, geralmente, não poderia abrir portas de controle, portas TCP etc., problema que é eliminado no caso da nuvem;
  • Não há necessidade de comprar uma ponte para ligar as chamadas: não há grande despesa necessária para comprar uma ponte. A nuvem é uma fonte flexível que fornece às organizações o que elas precisam, quando precisam. Além disso, soluções em nuvem não exigem grande largura de banda;
  • Custos do CapEx associados à atualização da infraestrutura: como os serviços em nuvem podem ser pagos mensalmente (dependendo do fornecedor), não há uma grande saída única de recursos da organização, e o custo pode ser distribuído por muitos meses ou anos;
  • Pessoal especializado e qualificado: se uma videoconferência em rede cai durante uma reunião importante, o seu time precisa sair ao resgate para garantir que ela volte a funcionar. No caso da nuvem, essa responsabilidade é do seu provedor, que terá uma equipe dedicada a manter seu sistema funcionando 24×7. Além disso, equipamentos de infraestrutura exigem conhecimento especializado e a nuvem elimina esse problema.

Além disso, os provedores de servidores podem oferecer serviços de videoconferência na nuvem que são comparáveis em termos de qualidade às instalações, graças à combinação de largura de banda barata e aos avanços de armazenamento do passado.

Conclusão: qual a melhor?

A videoconferência em rede foi amplamente adotada nos últimos anos, quando as preocupações com a eficiência e segurança da cloud ainda dominavam a cabeça dos gerentes de TI. Contudo, atualmente não há dúvidas sobre a capacidade da nuvem de oferecer os mesmos ou até melhores serviços que servidores em rede, o que trouxe às organizações a um ponto de inflexão.

Enquanto fazer a migração para a videoconferência na nuvem pode parecer complicado, a verdade é que com o apoio do provedor certo sua jornada pode ser tão simples como trocar um computador por outro.

E você, vai ficar para trás nessa evolução? Acesse aqui  e conheça as nossas soluções para sua videoconferência na nuvem!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: