Segurança em banco de dados: as 5 causas de ataques mais comuns

Home Segurança
Segurança em banco de dados: as 5 causas de ataques mais comuns

Segurança em banco de dados: as 5 causas de ataques mais comuns

A incidência dos ciberataques está crescendo em todo o mundo, e a segurança em banco de dados nunca foi um assunto tão importante para as corporações. Afinal, bancos de dados são alvo-chave para hackers devido a quantidade de documentos confidenciais que armazenam.

Com posse de dados financeiros, propriedade intelectual e segredos corporativos, criminosos podem lucrar bastante. E, uma vez que a maior parte do que fazemos agora está online é fato que extorsão, vazamentos, roubo de identidade e venda de dados de terceiros se tornaram suas grandes fontes de renda.

Conheça a seguir as 5 causas de ataques mais comuns a bancos de dados e entenda como proteger-se!

1. Privilégios excessivos

Quando usuários (ou apps) recebem privilégios de banco de dados que excedem os requisitos de sua função, esses privilégios podem ser usados para ganhar acesso a informações confidenciais. A solução para esse problema é o controle de acesso.

São as ferramentas de controle de acesso — encontradas na maioria das plataformas de bancos de dados existentes — que definem quem pode acessar o quê (e quando).

Sem sua devida implementação, executar uma injeção SQL não-confiável é bastante simples — e é uma das estratégias mais usadas por invasores para conquistar acesso a registros não autorizados.

2. Injeções SQL

Um método popular que hackers usam para tomar controle de bancos de dados são as injeções SQL, mencionadas no tópico anterior. Aplicações são atingidas por injeções e o administrador de banco de dados precisa limpar a bagunça causada pelo código mal-intencionado inserido em strings.

A melhor maneira de se proteger contra esse tipo de ameaça é cercar seus bancos de dados com firewalls e testar variáveis de entrada para injeções SQL ainda durante o desenvolvimento.

Para realizar esses testes, algumas empresas optam por pagar hackers white hat, que tentam invadir seus bancos de dados com diferentes técnicas de injeção de falhas.

A injeção de falhas baseadas em protótipos é um bom método para testar um sistema no nível do hardware ou software. Introduzindo elementos corrompidos nas suas redes, esses “hackers do bem” conseguem detectar as principais vulnerabilidades da arquitetura atual e evitar o ataque de black hats (hackers de intenção maliciosa).

3. Vulnerabilidades do sistema operacional

As vulnerabilidades em sistemas operacionais podem levar a acessos não autorizados. Imagine que você deixou de instalar uma atualização e um hacker lançou um ataque baseado nessa nova brecha contra os seus sistemas.

Para evitar que isso aconteça, adote atualizações automáticas para patches de segurança em seu sistema operacional, ou busque instalá-los assim que se fizerem disponíveis.

4. Autenticação fraca

Modelos de autenticação com baixa segurança permitem que hackers se valham de estratégias como ataques por força bruta e engenharia social para infiltrar bancos de dados.

Os ataques de força bruta consistem em utilizar várias senhas e nomes de usuários a fim de penetrar um sistema. Já a engenharia social recorre a confiança do usuário para extrair deles informações preciosas como logins e senhas.

A autenticação é o processo no qual uma parte prova a outra sua identidade, mediante um um conjunto de credenciais, como nome de usuário e senha. Essa autenticação pode ser mais segura, como no caso da verificação em duas etapas disponibilizada pelo Google. Nesse cenário, há a geração de uma nova chave de segurança em um dispositivo confiável para cada acesso.

Usar diretivas de senha forte, não armazenar credenciais de forma insegura e implementar o HTTPS para salvar as conexões feitas ao seu banco de dados em todas as instâncias são recursos para proteger a autenticação. Eles são essenciais para manter a segurança num banco de dados!

5. Malware

Uma ameaça perene como o malware é usada para roubar dados sensíveis por meio da infecção dos dispositivos de usuários legítimos e pode chegar ao seu banco de dados caso sua equipe não esteja atenta. Certos websites e programas devem ser evitados para prevenir a infecção.

Dada a sua prevalência em publicidade na web e, como cavalo de tróia, em alguns programas gratuitos, será preciso instalar bloqueadores de anúncios e evitar o download de aplicativos não autorizados.

Embora bancos de dados e seus conteúdos estejam vulneráveis a uma série de ameaças internas e externas, é possível reduzir os vetores de ataque para algo próximo de zero contornando essas formas de ataque mais comuns.

Que tal continuar aprendendo sobre segurança em banco de dados? Curta o Facebook da Santo Digital e acompanhe pela timeline nossas melhores dicas!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: