Quais são as opções para orquestrar Kubernetes no Google Cloud Platform

Home Cloud Computing
Quais são as opções para orquestrar Kubernetes no Google Cloud Platform

Quais são as opções para orquestrar Kubernetes no Google Cloud Platform

O desenvolvimento de aplicativos em contêineres é uma possibilidade para atender às necessidades atuais. Enquanto as aplicações ficam mais complexas, aumentam as exigências de rapidez para desenvolvê-las. O uso de contêineres ajuda a diminuir riscos, controlar a operação e separar as principais responsabilidades.

Uma das formas de utilizar essa abordagem é com o Kubernetes. Esse recurso está cada vez mais famoso e facilita várias operações. Também pode ser aplicado na nuvem, com o Google Cloud Platform, por exemplo. Para entender como isso é possível, continue a leitura e descubra as opções para orquestrar Kubernetes.

O que é o Kubernetes?

O Kubernetes é uma plataforma open source que facilita o uso, o gerenciamento e a automação dos contêineres. Isso é necessário porque, com o avanço do desenvolvimento das aplicações, há um número crescente de contêineres. Como eles devem ser movidos com segurança, é preciso ter os recursos certos. Então, o Kubernetes surge para auxiliar nisso.

Como ele funciona?

O recurso tem a função de ajudar a organizar os diversos contêineres criados sobre aplicações variadas. Agrupados, eles são movimentados de forma mais simples, o que também facilita a instalação, o deploy e as demais etapas.

Isso faz que o principal papel do Kubernetes seja o de harmonizar as unidades de armazenamento. Então, é possível orquestrá-las em hosts variados, automatizar a implantação e fazer um controle completo — inclusive sobre a integridade.

Como orquestrar Kubernetes no Google Cloud Platform?

Uma das possibilidades é, justamente, a navegação em nuvem. O Google Cloud Platform é uma opção viável que pode se beneficiar desses recursos. Para combinar Kubernetes nesse elemento na nuvem é preciso seguir alguns passos.

O processo se inicia com a criação de um projeto e, em seguida, a escolha de um shell local ou no Google Cloud Shell. Depois, é necessário utilizar o comando gcloud para dar as definições iniciais sobre o projeto e o cluster.

Nesse caso, é possível elaborar um conjunto do Kubernetes por meio do código gcloud container clusters create [CLUSTER_NAME]. Em seguida, é preciso obter as credenciais com a função gcloud container clusters get-credentials [CLUSTER_NAME].

A implantação acontece por meio de um objeto da própria plataforma de gerenciamento, o que exige, entre outros, o comando kubectl run. No caso do hello-app, a alternativa mais básica oferecida pelo Google, a linguagem fica: kubectl run hello-server –image gcr.io/google-samples/hello-app:1.0 –port 8080.

O uso do código correspondente deve ser seguido da inspeção e da limpeza de arquivos. Com o aprofundamento desses passos, a depender das exigências de cada implementação, ocorre a orquestração. Então, é essencial ficar atento às necessidades de desenvolvimento específica.

As demais opções de recursos disponíveis incluem:

  • rede híbrida;
  • gerenciamento de identificação e acesso;
  • Sistema Operacional (SO) exclusivo;
  • integração com o Google Container Registry;
  • elaboração de escalonamento automático.

Orquestrar Kubernetes no Google Cloud Platform é uma excelente oportunidade para dar mobilidade ao desenvolvimento de aplicações. Ao explorar as melhores possibilidades da plataforma, o processo fica mais simples e oferece gerenciamento reforçado.

Para conhecer melhor esse recurso na nuvem, veja quais são os bancos de dados disponíveis no Google Cloud Platform.

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: