Google Cloud Functions: o que é e para quem é indicado

Home Cloud Computing
Google Cloud Functions: o que é e para quem é indicado

Google Cloud Functions: o que é e para quem é indicado

A computação em nuvem pode ser útil para uma série de funções. Além de armazenar informações e oferecer serviços móveis, também garante a criação de novas aplicações de acordo com as exigências. Com o Google Cloud Functions, por exemplo, essa tarefa é facilitada pelas possibilidades de gerenciamento.

Conhecer a ferramenta, portanto, é essencial para explorar as opções disponíveis. Neste post, você vai descobrir o que é o Google Cloud Functions e para quem ele é mais indicado. Confira a seguir!

O que é o Google Cloud Functions e como ele funciona?

Para desenvolver aplicativos, é preciso ter um servidor dedicado. Apesar disso, em uma estrutura dinâmica de tecnologia da informação (TI), isso pode não ser interessante — afinal, a proposta da computação em nuvem é trazer mobilidade e conveniência.

O Google Cloud Functions é uma plataforma orientada a eventos. Trata-se de um recurso para que desenvolvedores ativem códigos conforme as necessidades. Assim, diversos serviços são tratados como pacotes simples e individuais. Então, eles podem ser utilizados com bastante facilidade.

Além disso, o fluxo de trabalho da ferramenta é descomplicado: a partir da emissão dos eventos, o Google Cloud Functions invoca os outros serviços necessários. Depois disso, o sistema informa os desenvolvedores.

Para quem ele é útil?

Embora seja muito interessante, ele não é, necessariamente, indicado para todos os casos. Em algumas situações, os desenvolvedores conseguem lidar bem com o esquema de servidor, mas o recurso é útil para servir de back end para aplicativos sem servidor e para criar aplicações inteligentes.

Além disso, ele permite fazer o processamento em tempo real de um grande volume de informações e é benéfico para cenários em que o código não fica em execução o tempo todo. Dessa forma, há um dimensionamento melhor da utilização dos recursos.

O sistema pode ser adotado em etapas de atendimento, em elementos que envolvem machine learning e muito mais, pois pode ser adaptado a diversos cenários. Quando o servidor dedicado é fundamental, essa não é a melhor saída, mas pode ser uma boa ferramenta complementar para os serviços da nuvem do Google.

Quais são as vantagens?

O Google Cloud Functions tem diversos recursos. Em primeiro lugar, ele é aberto e familiar, o que garante um uso simples e funcional. Além disso, favorece o escalonamento automático, o que facilita o atendimento a novas demandas, sem exigir mais do desenvolvimento.

A inexistência do gerenciamento de servidor e a extensão dos serviços de nuvem também favorecem o dinamismo e a atenção a várias necessidades. Outra vantagem tem a ver com o pagamento: a cobrança só acontece quando o código estiver em execução, o que garante máxima adaptação às exigências.

O Google Cloud Functions permite o desenvolvimento de aplicações sem a necessidade de um servidor. Com ele, é possível atender a solicitações específicas com custos menores e, o melhor, sem diminuir a segurança da informação.

E então, está preparado para usar o Google Cloud Functions na sua operação? Para não ficar de fora das novidades sobre tecnologia, curta nossa página no Facebook e nos acompanhe no LinkedIn.

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: