Sistemas de missão crítica: porque levá-los para a nuvem?

Home Cloud Computing
Sistemas de missão crítica: porque levá-los para a nuvem?

Sistemas de missão crítica: porque levá-los para a nuvem?

A cloud computing surgiu como uma alternativa de hospedagem popular para alguns aplicativos corporativos. Ela promete provisionamento rápido e grande escalabilidade. Ou seja, condições perfeitas para aumentar as cargas de trabalho com muita demanda de recursos sem sobrecarregar os data centers locais.

No entanto, as implantações em nuvem eram rotineiramente reservadas para aplicativos de teste e desenvolvimento de baixa prioridade ou aplicativos de negócios, de uso geral, em que uma certa quantidade de tempo de inatividade era tolerável.

Sistemas de missão crítica, normalmente, eram gerenciados dentro da própria empresa, onde administradores dedicados e infraestrutura própria garantiam disponibilidade contínua e sem comprometimento. Essa filosofia começou a mudar, atualmente, à medida que mais organizações passaram a confiar aplicativos críticos aos provedores de nuvem.

Mas qual o motivo para esta mudança de paradigma? Continue lendo conosco e descubra porque mais e mais organizações estão migrando seus sistemas de missão crítica para a nuvem! Acompanhe:

O que são os sistemas de missão crítica

Segundo a Techopedia, um sistema de missão crítica é um sistema essencial para a sobrevivência de uma empresa ou organização. Ou seja, quando este tipo de sistema falha, as operações param e o negócio, por sua vez, são afetadas.

Imagine, por exemplo, um carro. Os sistemas de missão crítica, nesse caso, seriam todos aqueles componentes que devem estar funcionando para que o carro ande. Isso seriam o motor, sistema de direção, sistema de abastecimento etc. Caso ocorra uma falha em qualquer um desses, o carro simplesmente não funcionará.

Por outro lado, caso haja uma falha no sistema de ar condicionado, por mais calor que você sinta dentro do carro em um dia de verão, ele continuará a andar normalmente — o que caracteriza um sistema que não é crítico ao funcionamento do veículo.

Seus sistemas de TI são a mesma coisa. Não há dúvidas de que, hoje, a tecnologia presente na empresa é fundamental para que ela funcione, mas algumas aplicações são mais do que outras.

Em exemplo mais ligado à TI, imagine a Netflix. Ela pode sofrer uma falha e ter alguns dos filmes no seu catálogo fora do ar, mas não pode arcar com os custos de perder todo o seu sistema nem por um segundo que seja.

Para a maioria das empresas e organizações de TI, os sistemas de bancos de dados e os servidores de controle de processos são sistemas essenciais. Data centers e servidores de banco de dados para aplicativos da Internet devem ser protegidos contra cenários que resultem na perda potencial de todas as funções, como falta de energia ou hardware defeituoso. E por que a nuvem é a solução?

As vantagens da nuvem para sistemas de missão crítica

Muitas organizações descobrem que o uso de serviços de nuvem para hospedar e provisionar aplicativos e dados de gerenciamento de sistemas de missão crítica, Business Intelligence e software ERP oferece o menor custo total de propriedade (TCO). Eles podem melhorar a produtividade, cortar custos e manter-se atualizado com a tecnologia mais recente.

Isso porque a nuvem permite:

  • Redução de custos: uma solução hospedada baseada em nuvem tem um custo mensal fixo, sem gastos de capital iniciais em infraestrutura. Você paga por aquilo que usa e nada mais;
  • Ganho de confiabilidade: a hospedagem na nuvem oferece tempo de atividade garantido e backup de dados constante para garantir um ambiente de trabalho sem problemas. Os centros de dados que obtiveram certificações de conformidade críticas fornecem a garantia de que atendem aos padrões de desempenho, privacidade e segurança;
  • Mais segurança: data centers empresariais são protegidos de forma abrangente com acesso biométrico, câmeras de vídeo, portas múltiplas, sistemas de segurança, firewalls dedicados e proteções físicas. Assim, garantindo que aplicativos e dados estejam protegidos contra ataques de malware, hackers, roubo e vandalismo, bem como forças naturais, como fogo ou inundações;
  • Escalabilidade: sua infraestrutura pode corresponder ao ritmo de crescimento de sua organização, oferecendo o nível de aplicativos e serviços de que você precisa e quando você precisa. Não há necessidade de pagar hoje pelos recursos de amanhã;
  • Mobilidade: os funcionários têm a flexibilidade de trabalhar onde estiverem, em casa ou em trânsito, usando diversos dispositivos que melhor lhes atenderem.

Com tudo isso, a nuvem não é mais uma discussão de sim ou não. É sobre quais aplicativos e cargas de trabalho você move para a nuvem e como e quando movê-los.  As empresas estão cada vez mais procurando o provisionamento rápido, a elasticidade, os recursos de autoatendimento e as vantagens sob demanda dos aplicativos e serviços em nuvem.

E para que você também aproveite desses benefícios, entre em contato conosco e converse com um dos consultores!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: