10 falhas comuns de segurança na nuvem que colocam seus dados em risco

Home Cloud Computing
10 falhas comuns de segurança na nuvem que colocam seus dados em risco
10-falhas-comuns-de-seguranca-na-nuvem-que-colocam-seus-dados-em-risco

10 falhas comuns de segurança na nuvem que colocam seus dados em risco

A Cloud Computing revolucionou o mercado de TI na última década e, hoje, está presente na grande maioria das empresas. Apesar de ser responsável por elevar o nível de proteção de dados, essa tecnologia também está sujeita a vulnerabilidades e, por isso, cabe às organizações adotar medidas estratégicas para garantir a segurança na nuvem.

Apesar de muitas pessoas acreditarem que essa é uma questão que cabe exclusivamente aos provedores de serviço, em verdade, a segurança na nuvem é uma responsabilidade compartilhada.

Ou seja, tanto as empresas quanto os provedores devem adotar medidas capazes de mitigar os riscos e vulnerabilidades inerentes à utilização dessa tecnologia.

Para que isso seja feito de forma assertiva, é preciso que as empresas conheçam as ameaças às quais elas estão sujeitas.

A seguir, você irá conhecer as 10 falhas mais comuns de segurança na nuvem para que, assim, você possa adotar medidas eficazes para garantir a proteção de seus dados e da sua operação como um todo. Confira!

1. Configuração incorreta

Erros nas configurações de segurança na nuvem são uma das principais causas de violações de dados nos ambientes de Cloud Computing.

De fato, muitos fatores contribuem para que falhas dessa natureza aconteçam, dentre os quais vale destacar:

  • A infraestrutura em nuvem foi projetada para ser prontamente utilizável e permitir o compartilhamento fácil de dados. Assim, é preciso muito cuidado para garantir que o acesso aos dados e aplicações seja concedido apenas a partes autorizadas.
  • As organizações que usam infraestrutura baseada em nuvem (IaaS) também não possuem visibilidade e controle completos das configurações de segurança. Por isso, é de suma importância contratar provedores de nuvem de qualidade, que ofereçam ferramentas avançadas e que sejam certificados por órgãos de segurança da informação.
  • Muitas empresas não estão familiarizadas com a segurança da infraestrutura em nuvem e, por isso, possuem dificuldade em avaliar os controles oferecidos pelo provedor de serviços. A situação fica ainda mais complicada quando são implementas estratégias multicloud, uma vez que cada fornecedor possui uma abordagem própria para garantir a segurança da informação.

Desse modo, para não incorrer em falhas de segurança decorrentes de configurações equivocadas, é fundamental contar com a assessoria de empresas especializadas em migração para a nuvem, bem como contratar provedores que possuam ferramentas e controles capazes de proteger seus dados.

2. Interfaces / APIs pouco seguras

Os provedores de computação em nuvem geralmente fornecem várias interfaces de programação de aplicativos (APIs) para seus clientes.

Em geral, isso permite que as empresas integrem dados e aplicações de forma fácil e eficaz, automatizando processos e, assim, elevando os níveis de produtividade.

No entanto, se não forem seguras, essas interfaces podem abrir linhas de comunicação para que os invasores explorem os recursos da nuvem.

Segundo estimativas do Gartner, em 2022, as APIs serão os vetores de ameaças usadas com mais frequência por invasores para direcionar dados de aplicativos corporativos.

Dessa forma, para garantir a segurança na nuvem, é fundamental que os desenvolvedores projetem APIs com autenticação forte, criptografia, monitoramento de atividades e controle de acesso.

3. Acesso não autorizado

Ao contrário da infraestrutura local de uma organização, suas implantações baseadas em nuvem estão fora do perímetro da rede e podem ser acessadas diretamente pela Internet pública.

Embora isso seja uma característica positiva para a acessibilidade dessa infraestrutura para funcionários e clientes, também pode ser uma porta de entrada para um invasor obter acesso não autorizado aos recursos e dados a empresa.

Nesse sentido, para garantir a segurança na nuvem é fundamental que o provedor de nuvem ofereça ferramentas para impedir o roubo de identidade e o acesso de pessoas não autorizadas.

Algumas maneiras de tornar isso possível é a autenticação em dois fatores, acesso baseado em contexto e implementação de uma política de senha de acordo com as melhores práticas.

4. Ausência de backup

Muitas pessoas ainda acreditam com o armazenamento na nuvem dispensa a implementação de políticas de backup. No entanto, isso não é verdade.

Como você pode ver, existem diversas falhas que podem comprometer a segurança de seus dados e, por isso, sua empresa deve implementar rotinas de backup normalmente.

Hoje, as soluções de backup em nuvem têm se mostrado altamente eficazes e configuram a estratégia mais assertiva para empresas de diferentes tamanhos e segmentos.

5. Gestão de acesso ineficaz

O gerenciamento de acesso impróprio é uma das falhas de segurança na nuvem mais comuns na atualidade.

Em suma, o gerenciamento de acesso garante que os funcionários possam realizar apenas as tarefas inerentes à sua função na empresa. Dessa forma, ele só deve ter acesso a aplicações e dados específicos.

No entanto, muitas empresas ainda concedem acessos padrão, sem levar em consideração a necessidade de cada usuário.

Além disso, existem vários outros desafios específicos para garantir a segurança na nuvem, incluindo, por exemplo, ex-funcionários com usuários ativos no sistema e múltiplas contas com privilégio de administrador.

Para combater o mau gerenciamento de acesso em serviços de nuvem, as empresas precisam desenvolver uma estrutura de governança de dados para contas de usuário.

As contas devem ser vinculadas diretamente aos serviços de diretório central, responsável por provisionar, monitorar e revogar privilégios de acesso.

6. Roubo de contas

Muitas empresas não implementam políticas de senhas para o acesso a recursos na nuvem, o que implica em usuários utilizando combinações extremamente fracas ou reutilizando a mesma senha repetidas vezes.

Esse problema agrava o impacto de ataques de phishing e violações de dados, pois permite que uma única senha roubada seja usada em várias contas diferentes.

Um invasor com as credenciais de um funcionário pode acessar dados confidenciais ou funcionalidades. Além disso, na nuvem, as organizações geralmente não têm a capacidade de identificar e responder a essas ameaças com a mesma eficácia da infraestrutura local.

Por isso, é fundamental que seu provedor de serviços em nuvem ofereça ferramentas de administração de usuários e gerenciamento de identidade que permitam implementar controles avançados, como autenticação em dois fatores, acesso baseado em contexto, etc.

7. Falta de visibilidade

Os recursos baseados na nuvem de uma organização estão localizados fora da rede corporativa. Isso faz com que, muitas vezes, você perca a visibilidade dos seus dados.

Isso pode limitar a capacidade de uma organização de monitorar seus recursos baseados na nuvem e protegê-los contra ataques.

Para que isso não aconteça, você pode optar por fornecedores como o Google Cloud, que fornecem controle sobre dados e visibilidade de quando e como eles são acessados.

8. Compartilhamento externo de dados

A nuvem foi projetada para facilitar o compartilhamento de dados. Muitos provedores oferecem a opção de convidar explicitamente um colaborador por e-mail ou compartilhar um link.

No entanto, o compartilhamento baseado em link pode não ser uma boa opção quando o conteúdo em questão envolve informações sensíveis ou sigilosas, umas vez que torna difícil controlar o acesso ao recurso compartilhado. 

Avalie que o link compartilhado pode ser encaminhado para outra pessoa, roubado como parte de um ataque cibernético ou adivinhado por um cibercriminoso, fornecendo acesso não autorizado a recursos ou informações.

Além disso, o compartilhamento baseado em link torna impossível revogar o acesso a apenas um único destinatário.

Diante disso, para evitar falhas de segurança na nuvem, todos os seus colaboradores devem ser instruídos a compartilhar dados e recursos realizando convites de forma explícita e não por meio de links.

9. Servidores desatualizados

Só porque você tem servidores baseados em nuvem não significa que eles aplicarão patches automaticamente ou se atualizarão para as versões mais recentes.

A utilização de servidores desatualizados é um fator que compromete significativamente a segurança na nuvem.

Por isso, é fundamental que sua empresa esteja vigilante com o gerenciamento de patches e contrate provedores que os aplique automaticamente ou que notifique sobre atualizações significativas em tempo hábil.

10. Ausência de abordagem contra ameaças internas

Mesmo que você se proteja de outros tipos de falhas de segurança na nuvem, ainda pode estar vulnerável a usuários internos mal-intencionados, sejam eles funcionários (atuais ou antigos), terceirizados ou parceiros comerciais.

Os inimigos com acesso não autorizado aos seus sistemas podem roubar informações, destruir dados e sabotar seus sistemas de TI.

A boa notícia é que as ameaças internas podem ser evitadas sendo proativo. Isso significa limitar o acesso a dados críticos – conceder aos indivíduos acesso somente às informações e aplicações essenciais.

Você também deve conduzir auditorias de segurança regulares, revogando o acesso quando necessário.

Algumas soluções, como o Google Cloud Platform, oferecem ferramentas de auditoria que podem ser utilizadas para identificar, por exemplo, se existem usuários que estão frequentemente tentado acessar aplicações, diretórios ou dados aos quais não possuem acesso.

Como aumentar o nível de segurança na nuvem

Agora você já conhece as 10 principais falhas de segurança na nuvem e também algumas medidas capazes de as mitigar. Em resumo, é recomendável que você execute as seguintes ações:

  • Contrate um provedor de qualidade, que ofereça ferramentas avançadas de proteção contra ataques externos e internos, gerenciamento de identidade e visibilidade dos dados;
  • Conte com uma empresa especializada para realizar a sua migração, configuração e, se necessário, gerenciamento da sua infraestrutura ou serviços em nuvem;
  • Implemente controles proativos como política eficaz de senha, gestão eficaz de acesso e execução de atualizações não automáticas.

Nesse sentido, você pode contar com a SantoDigital, uma empresa com certificação Google Cloud.

Com a SantoDigital, você tem a certeza de que estará utilizando um provedor que oferece todos os recursos de segurança na nuvem que você precisa para garantir a proteção dos seus dados.

Além disso, você conta com uma equipe capacitada para configurar adequadamente as suas soluções em nuvem e ainda conta com suporte especializado para tirar todas as suas dúvidas.

Entre em contato e saiba tudo que você precisa para começar a utilizar a nuvem de forma mais segura agora mesmo!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: