Segurança em Cloud Computing: 5 erros para evitar

Home Cloud Computing
Segurança em Cloud Computing: 5 erros para evitar

Segurança em Cloud Computing: 5 erros para evitar

A segurança em Cloud Computing é fundamental para garantir que uma empresa tenha todos os benefícios desse modelo. Erros e descuidos nessa área podem não só criar dores de cabeça para a organização como resultar em prejuízos catastróficos pela perda de dados e acessos não-autorizados.

Neste artigo selecionamos 5 erros que devem ser evitados para garantir a segurança em Cloud Computing. Confira a lista!

1. Não investir o suficiente na segurança em Cloud Computing

A segurança digital é como o casco de um navio: mesmo se a maior parte dele estiver em excelentes condições, basta um único furo para que a água comece a entrar e a embarcação naufrague.

O mesmo acontece quando o investimento em segurança digital é insuficiente. Basta um único furo ou descuido para que invasores explorem essa falha e comprometam os dados e sistemas da empresa.

Portanto, quando for investir na segurança em Cloud Computing, tenha certeza de que os recursos são suficientes para resolver todas as brechas.

2. Não monitorar o desempenho

Uma das maiores vantagens do Cloud Computing é a sua escalabilidade. É possível começar com um investimento baixo e incrementá-lo de acordo com o crescimento da demanda.

Para que isso seja efetivamente realizado, é fundamental monitorar o desempenho da rede e a sua utilização. Com as informações obtidas a partir dessa atividade, os administradores da rede poderão tomar decisões mais acertadas sobre qual tipo de evolução é necessária e quanto é preciso investir.

Sem o monitoramento do desempenho da rede, ela pode crescer sem a devida proteção e se tornar mais vulnerável.

3. Não ter processos definidos ou estruturados

Essa é uma falha de gestão que muitas vezes resulta em consequências severas para segurança digital de uma empresa. Se a organização não adota procedimentos de segurança em seus processos, ela acaba se tornando vulnerável a ameaças.

Nenhuma tecnologia de proteção digital é capaz de impedir falhas humanas, mas processos estruturados e bem-definidos que reforcem os procedimentos de segurança podem minimizar ocorrências em que o elemento humano comprometa os dados e sistemas da organização.

4. Não contar com SLAs suficientes

SLA é a sigla para Service Level Agreement, ou acordo de nível de serviço. Um SLA nada mais é do que um combinado normalmente feito entre a área de TI e o operacional, que descreve responsabilidades mínimas na entrega de um serviço.

Os SLAs são mais do que dispositivos contratuais para cobrar resultados da TI: eles também são indicadores claros das demandas operacionais e podem ser importantes para direcionar o trabalho do time de tecnologia.

Se não existem SLAs firmados ou se eles são insuficientes, os serviços de Cloud Computing podem falhar em atingir a performance esperada e se tornam mais vulneráveis.

5. Não ter um plano de recuperação de desastres

Apesar de mais seguro, o Cloud Computing não é milagroso. Mesmo quando uma empresa toma todas medidas de segurança digital recomendadas, é possível que riscos inesperados ou ataques massivos consigam, de alguma forma, comprometer os sistemas da organização.

Para isso, é fundamental ter um plano de recuperação de desastres bem-estruturado, que vai instituir políticas de backup — que vão minimizar a perda de dados e acelerar o restabelecimento de serviços essenciais ao negócio.

Se uma empresa sofre algum ataque e fica com seus sistemas indisponíveis por um dia inteiro, os prejuízos podem ser imensos. Em organizações que lidam com operações constantes em tempo real, como bancos, o desastre pode ser avassalador.

Por isso, é fundamental contar com um bom plano para a recuperação de desastres.

E você, como faz para se proteger? Quais medidas adota para a segurança em Cloud Computing? Deixe um comentário!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: