É possível usar o big data em uma empresa de médio porte?

Home Big Data
É possível usar o big data em uma empresa de médio porte?

É possível usar o big data em uma empresa de médio porte?

Sua empresa sabe como usar o Big Data? A International Business Machines (IBM), estadunidense que presta serviços em tecnologia, estimou em uma grande pesquisa que cerca de 2,5 quintilhões de bytes são gerados diariamente na Web.

Com os zilhões de petabytes, a quantidade de informações a ser processada por uma companhia é absurda. Contudo, uma empresa de médio porte pode não dispor de muitos recursos para realizar a análise de dados — então, como aproveitar esse fluxo intenso a favor das estratégias empresariais?

Para uma empresa de médio porte, aplicar estratégias embasadas nas novas tecnologias é essencial para manter a competitividade no mercado. Os dados virtuais têm alto valor para as os planos de ação, e por isso é preciso encontrar soluções para gerir o alto volume de bytes e aplicá-los em suas ações. Aqui entra a necessidade de adotar os Big Data Analytics.

Para entender melhor a transformação que o Big Data pode causar na cultura organizacional das médias empresas, listamos as principais aplicações possíveis. Continue a leitura e acompanhe!

Qual a importância do Big Data?

Big Data é um fluxo intenso de dados que não pode passar por análises analógicas, tendo em vista a quantidade absurda de informações. Para dar conta de gerenciá-la, é preciso que a empresa conte com um supersistema, um recurso eletrônico com alta capacidade de processamento.

Big Data tem se tornado muito popular, conquistando espaço nas empresas modernas independentemente do porte dessas companhias. Junto dessa importância que se dá aos dados virtuais, crescem os sistemas de Big Data Analytics, capazes de processá-los e revolucionar os processos internos.

O mecanismo de Big Data é largamente usado para analisar o cenário e o desenvolvimento da marca, processar diagnósticos e prever a ocorrência de erros, permitindo a antecipação e premeditação dos gargalos.

As empresas, diante das vantagens do recurso, estão apostando em novas maneiras de gerir os dados captados. Assim, as análises se tornaram o centro dos esforços de muitas companhias modernas. A expectativa é que eles sejam capazes de gerar valor, não apenas proporcionando economia, mas permitindo a adoção de práticas que elevem o diferencial competitivo do negócio.

Como usar o Big Data na média empresa?

As plataformas de gerenciamento de dados já têm sucesso quando o assunto é usar o Big Data nas médias empresas. A previsão dos experts do ramo é a de que cada vez mais os negócios utilizarão os dados em suas ações estratégicas, em vez de simplesmente guardá-los.

Como a média empresa pode acompanhar esse fluxo? Listamos as melhores práticas que podem ser incorporadas na sua organização logo abaixo. Confira.

Análise do comportamento do consumidor

Não importa o setor de atuação — quem consegue monitorar as reações de seu público e adequar seus produtos, serviços e campanhas publicitárias às demandas do mercado certamente está destinado a engolir seus concorrentes. Já estão disponíveis para as médias empresas diversas ferramentas de monitoramento de redes sociais que não representam altos custos e cujos resultados são expressivos a médio prazo.

Reduzir a debandada de clientes

Perder um cliente custa caro, mas usar o Big Data ajuda a diminuir esse movimento, chamado de churn. Com a mineração de dados e suas diversas aplicações ramificadas, podem ser captadas as informações do CRM, do Serviço de Atendimento ao Cliente, da carteira de consumidores do negócio, das redes sociais e muito mais.

Esses rastros podem ser aplicados aos Big Data Analytics, fornecendo dados sólidos sobre tendências de compra e possíveis desligamentos de clientes, dando tempo para que a organização se adiante e impeça esse processo de cancelamento.

Gestão logística

Há alguns pilares para otimizar a logística na média empresa e tornar a experiência de compra mais agradável para o cliente: montar rotas de entregas econômicas e dinâmicas, prezar por um delivery que não danifique as mercadorias e uma rota inteligente que permita cortar custos com combustível e manutenção. É uma área que opera com perfeição alinhada aos Big Data Analytics.

Processar e tratar os dados operacionais das operações logísticas da empresa permite definir, por meio de algoritmos e localizadores que monitorem o tráfego, quais são as melhores rotas para realizar as distribuições de mercadoria, quais combinações geram mais resultados, além de uma análise da temperatura que facilita a conservação dos itens.

Aplicação em lojas físicas

e-commerce moderno se dispõe de diversos dados virtuais que podem ser agregados aos processo de data mining para traçar o perfil de cada membro em sua carteira de clientes e otimizar o processo de compras.

No entanto, o que acontece com as médias empresas que operam com lojas físicas? Como as filiais físicas podem usar o Big Data em seus sistemas de trabalho para potencializar as chances de sucesso?

Alguns comércios pioneiros já adotam a captação de dados dos clientes com o uso de supercâmeras no interior da loja, de forma discreta. O objetivo dessa ação não é propriamente a segurança no comércio, mas a investigação do comportamento do público que frequenta o ponto de venda: faixa etária, porcentagem de homens e mulheres, setores de compra mais buscados pelos consumidores e o tempo médio gasto pelos compradores.

Esse monitoramento resulta em gráficos completos que darão uma visão dinâmica sobre as reações dos clientes frente aos produtos, vitrines, displays e preços praticados em sua loja. Assim, um comércio offline pode adotar decisões estratégicas para conquistar seu público — um redesenho da informação visual da marca, um novo layout da loja, redimensionamento e organização das mercadorias ou mudanças no mix de produtos são mudanças que podem ser alinhadas com os interesses do consumidor.

Adoção da cloud computing

Podemos perceber uma migração intensa dos dados empresariais para a nuvem. As companhias já perceberam as inúmeras vantagens em trabalhar com a cloud computing. Manter processos analógicos para a gestão e consulta de informações do negócio é um risco, que pode resultar em perda de tempo e dinheiro. Segurança e praticidade também são dois fatores propícios para contar com a ferramenta.

Usar o Big Data em uma média empresa não precisa ser um bicho de sete cabeças! Pelo contrário, o recurso ajuda a manter os processos em perfeito funcionamento e dá mais diferencial competitivo para a companhia.

Gostou de saber mais sobre essa tecnologia? Quer aplicá-la na sua empresa? Entre em contato com a Santo Digital hoje mesmo!

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: