Criando uma aplicação do Google Cloud Functions

Home Cloud Computing
Criando uma aplicação do Google Cloud Functions

Criando uma aplicação do Google Cloud Functions

O Google Cloud Functions é um ambiente sem servidor que permite criar e escalonar aplicações na nuvem. Isso traz muito mais mobilidade e eficiência para a estrutura de tecnologia da informação (TI) da empresa, além de garantir custos menores.

Após identificar que esse recurso é indicado para suas necessidades, é preciso saber como ter sucesso na criação de aplicações. Quando se conhecem os passos do processo, tudo fica mais fácil. Então, veja algumas dicas de como criar um aplicativo no Google Cloud Functions e tire suas dúvidas. Boa leitura!

Selecione o sistema de tempo de execução

A forma de escrever uma aplicação tem algumas variações, já que depende do runtime ou do sistema de tempo de execução. Entre as possibilidades, o Google Cloud Functions oferece o Node.js 6, o Node.js 8 e o Phyton, entre outros. Cada um exige uma documentação ou um processo de nomeação distinto.

Determine o tipo de função

Para utilizar os recursos da plataforma, há, basicamente, duas funções disponíveis: HTTP e funções de background. As de HTTP são escritas e usadas a partir de requisições normais desse tipo. No caso da nuvem, existe um provisionamento de certificado especial, o que garante a conexão segura.

Já para as funções de background, podem ser utilizados os próprios serviços de infraestrutura da nuvem. Então, a abordagem inclui notificações, mensagens, uso de armazenamento e assim por diante.

Nomeie corretamente a função

O Google Cloud Functions exige que a função receba um nome específico, único na região e que não pode ser mudado depois do deploy. Isso torna imprescindível o cuidado com essa etapa. Assim, ela pode ser chamada da forma adequada em outras oportunidades.

Faça o deployment de forma adequada

Depois que as funções são escritas e chamadas corretamente, é fundamental acertar no deployment. Isso pode ser feito da máquina local, da fonte de controle ou do console do Google Cloud Platform. Nessa etapa, o sistema busca os documentos.

Por isso, é fundamental que tudo esteja estruturado de forma adequada. Para garantir o funcionamento ideal, é recomendável construir e testar localmente. A partir das avaliações de desempenho, pode-se definir o que precisa ser modificado para que o processo seja concluído.

Tenha apoio especializado

Por ser relativamente novo e inovador em relação ao desenvolvimento tradicional, é comum que surjam dúvidas sobre o uso do Google Cloud Functions. Nesse contexto, é fundamental ter apoio do suporte, pois isso garante a execução otimizada.

Contratar uma empresa especializada em soluções do Google é, então, o melhor caminho. Os especialistas podem definir rotas de implementação, oferecer treinamentos e garantir que as novas aplicações sejam escritas do jeito certo.

Isso diminui o tempo de adaptação, evita erros e garante uma atuação mais consistente e segura. Assim, fica mais fácil aproveitar todos os benefícios do recurso. Afinal, o Google Cloud Functions permite criar aplicativos de uma forma nova graças à falta de servidor.

Com a abordagem adequada, então, a elaboração das aplicações é favorecida. Além disso, os resultados obtidos são mais seguros e convenientes. Por isso, é muito importante ter apoio nessa fase.

Precisa de suporte nessa etapa do processo? Então, entre em contato com a nossa equipe e descubra o que podemos fazer pelo seu setor de TI.

Receba todas novidades


    Veja mais conteúdos: